Impresão 3D – Basico

O ponto de partida para qualquer processo de impressão 3D, trata-se de um modelo 3D, ficheiro ou arquivo esse que guarda o desenho entre outras características do nosso trabalho, e que pode ser criado por uma variedade programas de designados de software CAD 3D, ou através de um scanner 3D. Este ficheiro é como outro documento qualquer mas em vez de conter texto ou uma foto das ultimas ferias contem o modelo 3D de um objecto.

Tendo este ficheiro passamos a fase seguinte o de produção em que é necessário cortar o modelo em camadas “slicer”, o que irá criar um ficheiro que é o arquivo para ser lido pela nossa impressora 3D. Se pretender recorrer a um serviço de impressão 3D, este passo não é da sua responsabilidade, é o operador que pega  no ficheiro do modelo 3D do cliente, o trabalha no slicer onde está configurada a maquina que irá fabricar o objecto de modo a obter código para a maquina inicar a produção.

O material é então processado pela impressora 3D é depois dividido em camada de acordo com o desenho. Como deve saber existem enumera tecnologias de impressão 3D, que processão os matérias de diferentes maneiras de modo a criar o objecto final. Plasticos, metais, cerâmicas, e areia, são agora os materiais mais utilizados

Está em investigação a impressão 3D com bio materiais e diferentes tipos de comida, mas nas maquina de inicio de gama no mercado o plástico é o material mais utilizado. Normalmente o PLA ou ABS mais estão a aparcer um crescente numero de alternativos como o Nylon.

Como Trabalha

Os diferentes tipos de impressoras 3D empregam diferentis tipos de tecnologia e diferentes tipos de materiais e é importante perceber as limitações basicas da impressão 3D quer em termo de materias quer em termos de aplicações. Não existe uma receita magica que resulta sempre.

Existem impressoras 3D que processão materiais em pó (nylon, plástico, cerâmica, metal), que utilizam uma fonte de luz e/ou calor de modo a sintetizar, fundir ou derreter o material  em camadas sobre camadas, com determinada forma. Outros utilizam resinas de polímeros e novamente com uma fonte de luz ou calor solidificam a resina em finíssimas camadas com determinadas forma.

Provavelmente o processo mais comum é o de deposição de material, e este é o processo empregue na maioria das impressora de entrada de gama. Neste processo o plástico é extrudido num filamento através de um bico extrusor de modo a ir formando varias camada com determinada forma.

Devido as peças poderem ser impressas diretamente é possível produzir objeto de geometria bastante complexa e pro vezes elementos incorporado que de outra maneira teria de ser produzidos em vários passos e posteriormente montados.

Outro ponto depreciativo importante é que nenhum processo de impressão 3D completamente automatizado. Isto é existem passos a efectuar além de ter um dado objecto no monitor do computador e ele aparecer feito na nossa secretaria, este são muitas vezes esquecidos, tirando objectos que sejam desenhados especificamente para serem impressos, a preparação de ficheiros em conversões, posicionamentos de impressão, suportes, etc, podem ser tarefas que consomem tempo e recurso especialmente em peças complicadas. Contudo continua a existir avanços neste campo em termos de software. Uma vez que a peça está concluída na impressão por vezes necessitam de algumas operações de acabamento. A remoção de suportes é um dos processos típicos que algumas peças implicam entre outras tais como lixar, pintar etc.

  1. Inicio deste guia
  2. Impressao 3D comparação com processos tradicionais
  3. Impressão 3D – Básico
  4. Impressão 3D – Começar
  5. Impressão 3D – Materiais
  6. Serviço de impressão 3D e como encomendar

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *